Espaços

Aquilo que não pode ser tocado não nos pertence
O que não pode ser sentido não é real
O tempo preenche e se escapa
No silêncio

Desaparece, aparece, se apresse, prece
Sequência de “agoras”
O tempo preenche e se escapa
No silêncio

O mar transborda e inunda
A vida se torna escassa

[ E aonde estará o mar?

O tempo se dissipa e não retorna
O mar retorna e novamente transborda
Não é silêncio

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s