Devaneio

A porta bateu, ele entrou em casa.
Ela saiu de casa, a porta bateu.

A eternidade do agora

O tempo marcou as pessoas
Marcou o olhar
Olhar do silêncio.

A vida guiou os caminhos, o universo não conspirou a favor que as ruas por onde seus pés marcaram os passos terminassem na mesma encruzilhada. O café não era o mesmo, os pensamentos diferiam por causa do céu que encobria os dois. Noite. Céu Iluminado. Estavam distantes, porém, perto… Tão perto, que deixavam um espaço permitindo que as forças que sustentam as estrelas, sustentassem os pensamentos que se entrelaçavam como raios de luz que convergem em cores, clareando distâncias.

A ponte que não atravessava nenhum rio, passava por cima dos trilhos de uma estrada dos sem rumo. Atravessaram a ponte, olharam-se. Inspiração. Respiração. Os sorrisos conversaram pelas palavras, os olhos finalmente chegaram a mesma encruzilhada, o café desta vez se tornou o mesmo, o céu era noite mas iluminado pela lua e a distância continuava erguida pelas forças que continuavam a reger os corpos celestes.

large

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s